O que é Violência Doméstica?

O que é Violência Doméstica?

Você sabe o que é violência doméstica?

Já sofreu algum tipo de violência ou conhece alguém próximo que está passando por essa situação?

Apesar de ser bem claro para algumas pessoas o que é a violência doméstica e como se qualifica, ainda existem várias pessoas que não reconhecem que estão vivendo abusos diariamente.

O que é violência doméstica?

Uma Epidemia Silenciosa

A violência doméstica, que ocorre com mais frequência do que pensamos, consiste em uma série de ações controladoras e agressivas. Compreender o que constitui violência doméstica é o primeiro passo.

O abuso não é apenas físico, mas pode se manifestar de diversas formas, cada uma igualmente prejudicial e inaceitável.
Essas ações incluem abuso físico, sexual e psicológico, bem como manipulação financeira, e patrimonial.

A violência doméstica, também conhecida como violência entre parceiros íntimos (VPI), é um padrão de comportamento utilizado por uma pessoa para exercer controle e poder sobre outra em um relacionamento. Isso pode incluir cônjuges, parceiros, ou familiares. Criando um ambiente de medo, insegurança e dominação, que afeta gravemente o bem-estar da vítima.

Tipos de Abuso

1. Abuso Físico
Provavelmente a forma mais reconhecida, o abuso físico envolve qualquer uso intencional de força física com potencial para causar danos. Isso inclui bater, socar, chutar, estrangular ou usar uma arma. O abuso físico pode deixar marcas visíveis, ferimentos ou até mesmo resultar em morte.

Alguns Sinais de Abuso Físico:

       Lesões inexplicáveis, como hematomas, cortes ou ossos quebrados.
       Idas frequentes à emergência com explicações vagas ou inconsistentes.
       Asfixia ou estrangulamento, indicando um nível crescente de perigo físico.
       Danificar ou destruir bens pessoais durante discussões.

       Negar atendimento médico ou obrigar a parceira (o) a descuidar da saúde.

2. Abuso Emocional e Psicológico
Este tipo é menos visível, mas é muito prejudicial. Inclui comportamentos como abuso verbal, ameaças, intimidação, e humilhação. O agressor (a) pode isolar a vítima dos amigos e familiares, diminuir a sua autoestima ou manipular com mentiras. O abuso psicológico pode levar a graves problemas de saúde mental, incluindo ansiedade e depressão.

Sinais de Abuso Psicológico:

       Críticas ou menosprezos constantes, minando a autoestima da parceira (o)
       Controlar o comportamento, como monitorar chamadas no celular, mensagens de texto ou redes sociais.
       Isolamento de amigos e familiares, limitando o sistema de apoio da vítima.
       Gaslighting – manipular a vítima para que duvide de suas próprias percepções ou sanidade.

       Ameaças de danos à vítima, aos seus familiares, amigos ou aos animais de estimação.

Sinais de Abuso Psicológico & Físico

       Táticas de intimidação, como postura agressiva ou quebra de objetos.
       Consumo forçado de drogas ou álcool para prejudicar o julgamento e o controle da vítima.
       Ameaças com armas ou exibição de armas para colocar medo.

       Comportamento de perseguição, tanto presencial quanto online (Stalking).

3. Abuso Sexual
Esse tipo de abuso envolve qualquer atividade sexual coagida ou não consensual. Pode variar desde toques indesejados até estupro, e muitas vezes inclui ações que degradam ou humilham a vítima. O abuso sexual é uma grave violação da autonomia de uma pessoa e pode ter profundas consequências físicas e emocionais.

Sinais de Abuso Sexual

       Atos sexuais não consensuais ou coerção.
       Reter sexo como forma de controle ou punição.
       Insultos ou degradação sexual.
       Forçar a parceira (o) a praticar atos sexuais contra a sua vontade.

       Exigir fotos ou vídeos explícitos e usar para manipulação.

4. Abuso Financeiro
Os abusadores podem exercer controle sobre suas vítimas gerenciando ou administrando mal os recursos financeiros da vítima. Geralmente pode incluir a restrição do acesso ao dinheiro, proibir a vítima de trabalhar, sabotar oportunidades de emprego ou roubar dinheiro. O abuso financeiro visa tornar a vítima financeiramente dependente, com a finalidade de te deixar  com menos opções de fuga.

Abuso Patrimonial
O abuso patrimonial, também conhecido como abuso financeiro ou econômico, é uma forma de maus-tratos em que o agressor (a) exerce controle sobre a vítima, manipulando ou explorando os seus recursos e financeiros. O abuso patrimonial é muitas vezes oculto e menos visível do que o abuso físico ou emocional, mas pode ser igualmente prejudicial, levando à instabilidade financeira a longo prazo e ao sofrimento emocional da vítima.

Formas de Abuso Patrimonial
O abuso patrimonial pode se manifestar de diversas formas:

Controle Financeiro
Restringir o acesso da vítima ao dinheiro, negar necessidades básicas ou dar apenas uma mesada restrita.

Exploração
Usar os fundos ou bens da vítima sem permissão em benefício do agressor (a).

Sabotagem
Interferir na capacidade da vítima de trabalho ou de buscar oportunidades educacionais, limitando assim sua independência financeira.

Coerção
Forçar a vítima a transferir documentos financeiros, como empréstimos ou títulos de propriedade, contra sua vontade.

Roubo e Fraude
Roubar o dinheiro, a propriedade ou a identidade da vítima para obter ganhos financeiros.

Prevalência de Abuso Patrimonial
O abuso patrimonial é mais comum do que muitos podem suportar e pode ocorrer em todos os grupos sociais, incluindo qualquer idade, gênero, estatuto socioeconómico e origens culturais. Você consegue observar em relações em que uma das partes detém um controle financeiro significativo ou em situações que envolvem pessoas vulneráveis, como idosos ou pessoas com algum tipo de deficiência. Estatísticas e estudos sobre abuso financeiro revelam frequentemente números alarmantes, mas a verdadeira extensão não é provavelmente divulgada devido ao medo, vergonha ou dependência da vítima do agressor (a).

Sinais e Consequências

       Dificuldades financeiras repentinas apesar de um rendimento adequado.
       Levantamentos ou transferências inexplicáveis ​​de contas bancárias.
       Perca de bens, dinheiro e pertences.
       Negação de acesso a informações ou documentos financeiros.

       Isolamento de redes sociais e sistemas de apoio.

As consequências do abuso patrimonial são graves e podem levar a:

       Ruína financeira e inadimplência.
       Perda de bens.
       Problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão.

       Dependência do agressor (a) para sobrevivência.

5. Gaslighting Psicológico
Esta forma envolve manipular a vítima para que duvide de sua realidade ou sanidade. O agressor (a) pode negar acontecimentos, mentir sobre incidentes passados ​​ou convencer a vítima de que suas memórias estão incorretas. Com o tempo, isto pode diminuir o sentido de identidade da vítima e a sua confiança nas suas próprias percepções.

Infelizmente isso acontece mais do que imaginamos.

6. Abuso Tecnológico
Com o surgimento da tecnologia digital, os abusadores têm novos métodos para controlar e intimidar. O abuso tecnológico inclui perseguição através das redes sociais, invasão de contas pessoais, rastreamento da localização da vítima ou envio de mensagens ameaçadoras. Isso pode criar uma sensação inevitável de vigilância e medo.

Sinais do Abuso:

       Monitoramento Constante:  O abusador (a) insiste em ter as senhas das redes sociais do outro e frequentemente faz login para verificar mensagens e interações sem permissão.
       Rastreamento de Localização: O abusador (a) instala secretamente um aplicativo de rastreamento de GPS no telefone da vítima para sempre saber onde ela está, sem obter consentimento.
       Controle da Comunicação: O abusador (a) tira o telefone da vítima durante discussões, impedindo que ela entre em contato com amigos ou familiares para obter apoio.
       Ciberstalking:  O abusador (a) cria múltiplos perfis falsos para seguir a atividade nas redes sociais do outro e coleta informações sobre seu paradeiro e interações através desses perfis.
       Uso de Tecnologia para Ameaças:  O abusador (a) envia várias mensagens de texto ameaçadoras, como "Se você me deixar, vou garantir que todos saibam seus segredos."
       Impersonificação Online:  O abusador (a) cria uma conta falsa em redes sociais fingindo ser outra pessoa e a usa para reunir informações privadas sobre a vida e atividades do outro.
       Ciúmes Excessivos e Possessividade:  O abusador (a) exige acesso a todas as contas do outro e verifica continuamente com quem ele está conversando, questionando cada interação.
       Após a briga ou um término, o parceiro (a) ameaça postar fotos ou vídeos íntimos online se o outro não concordar em voltar.

       O parceiro (a) manipula capturas de tela de mensagens passadas para fazer você acreditar que disse algo que não disse, te fazendo duvidar de sua memória e realidade.

Parece surreal, mas infelizmente isso acontece todos os dias com inúmeras vítimas.

Você ainda está em dúvida sobre o que é violência doméstica?
Reconhecer sinais no início do namoro pode salvar a sua vida. Não tente mudar a outra pessoa. Ninguém muda ninguém. Você já falhou se já está entrando em um relacionamento com esse pensamento. A única pessoa que tem o poder de mudar é a própria pessoa.
 Aqui estão mais alguns sinais precoce de alerta para você:
  •  Ciúme extremo ou possessividade
  • Mudanças repentinas no comportamento de parceiro (a) em relação a você
  • Tentativas de te isolar de amigos, familiares ou atividades
  • Acusações frequentes e injustificadas de infidelidade
  • Mudanças drásticas no seu comportamento ou estilo de vida para evitar conflitos ou agradar seu parceiro (a)
  • Seu parceiro controla exageradamente o que pode vestir e tem brigas por causa disso
  • Frequentemente culpa você por seus problemas ou sentimentos, incluindo raiva e frustração
  • Insultos, menosprezo, humilhação ou gritos para acabar com a sua autoestima
  • Qualquer forma de abuso físico, como bater, empurrar, derrubar, socar ou outras formas de dano físico
  • Fazer ameaças contra você, sua família, seus animais ou até contra o próprio abusador (a) se fizer algo que não foi aprovado
  • Assumir o controle de suas finanças, querer limitar o que você pode gastar, ou tomar decisões financeiras sem sua autorização
  • Te intimidar com olhares, ações, gestos ou destruição de propriedade para assustar você
  • Pressionar ou forçar você a atividades sexuais indesejadas contra sua vontade

    Se você ou alguém que você conhece está apresentando algum desses sinais, é importante pedir ajuda. Existem muitos recursos disponíveis, incluindo linhas diretas, abrigos e grupos de apoio.

    Quanto mais cedo você perceber esses sinais, com mais clareza entenderá que está vivendo um relacionamento tóxico.

    A segurança deve ser a sua principal prioridade.

QUIZ DO RELACIONAMENTO TÓXICO

Você considera o seu relacionamento saudável ou tóxico? Nem todo abuso é percebido no início. Existem alguns sinais óbvios de que seu parceiro (a) é abusivo, por exemplo, se for fisicamente violento (a) ou fizer ameaças claras de te machucar.

Se você está achando alguns comportamentos duvidosos, que talvez seja prejudicial ou abusivo, o questionário pode ajudar.

Independentemente do resultado, respire fundo e converse com alguém da sua confiança ou um especialista.

Existem canais que podem fornecer suporte prático e emocional em nossas linhas de apoio, via e-mail ou no Live Chat em sites pelo mundo

Se você estiver sob risco imediato de danos, ligue para 190 BR, 911 EUA, 112 Europa, 999 UK.

Entre em contato com a Linha Direta Nacional de Abuso Doméstico 24 horas por dia.

Brasil
  180 (Central de Atendimento à Mulher)
  gov.br/mdh/pt-br/assuntos/violencia-contra-a-mulher

Estados Unidos
  1-800-799-7233 (SAFE)
   thehotline.org

Portugal
   800 202 148 (Linha de Apoio à Vítima)
   apav.pt
A APAV (Associação Portuguesa de Apoio à Vítima) oferece suporte e informações sobre violência doméstica e outras formas de violência.

Itália
   1522 (Servizio Antiviolenza e Stalking)
   1522.eu
A linha direta 1522 é um serviço gratuito disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, que oferece apoio e informações para vítimas de violência e stalking.

Europa
Nos países da União Europeia, existe uma linha direta de apoio disponível. No entanto, cada país pode ter sua própria linha direta nacional:
   (geral): 116 016
   eige.europa.eu/gender-based-violence/resources

Japão
   0120-279-889 (Digi Police)
   moj.go.jp/ENGLISH/index.html

Se você ou alguém que você conhece estiver em uma situação de emergência, é essencial procurar ajuda imediatamente. Essas linhas diretas podem oferecer orientações e apoio.

Vamos começar o Quiz

Baixe o Workbook "A vida depois do Trauma & Abuso"

E-mail(obrigatório)

Conheça mais dicas de Saúde Mental

Conheça mais dicas de Saúde Mental

Gostou da dica? Compartilhe!

Carrinho de compras